Volta às aulas

Volta às Aulas

As volta às aulas já estão ai, e alunos, pais e professores já estão se preparando para voltar à rotina agitada de estudos, trabalhos e passeios. As férias passaram voando, né? Mas agora é hora de colocar os cadernos na mochila, recolher lápis, caneta, borracha e colocar tudo no estojo. O segundo semestre se inicia e enquanto para uns é a continuidade dos estudos, para outros se torna um momento de medo, inseguranças e novos desafios, mas fique tranquilo, que já separamos dicas essenciais para voltar com tudo.

Alunos, pais e professores se preparam para mais uma volta às aulas. As férias passaram voando, né? Mas agora é hora de colocar os cadernos na mochila e se preparar para mais uma sessão de aprendizado e provas. Os pequenos voltam para a segunda parte do ano letivo com a missão de aprendizagem e boas notas, enquanto muitos alunos se preparam para os vestibulares do final desse ano e todas as dúvidas e inseguranças começam a surgir, mas fique calmo. Preparamos uma lista com várias dicas para você se organizar melhor nesse último semestre e ficar preparado para todas as atividades, estudos e provas.

Para você aluno

Se adaptando a uma nova escola

Mudanças geram sempre muitas dúvidas, pois na maioria das vezes não sabemos quais serão as consequências de tais, mesmo assim, em diversos momentos da vida elas acontecem e são necessárias, sejam quais forem os motivos.

Uma destas mudanças corriqueiras é a adaptação a uma nova escola. Às vezes seus pais decidem se mudar de cidade por conta de um novo emprego, ou até mesmo uma mudança de bairro para melhor comodidade no atual, enfim, são diversas as razões que podem levar à uma mudança repentina de escola. Os primeiros dias em um novo ambiente escolar podem causar nervosismo, ansiedade e medo. Por isso, levantamos algumas dicas que irão te ajudar a manter a calma, e relaxar diante deste momento, tornando-o rico e prazeroso:

1 – Devagar as coisas acontecem

A calma é o principal artifício para que tudo ocorra de forma tranquila. Em seu primeiro dia de aula, mentalize que aquele terá de ser um dos melhores anos de sua vida. Outra questão importante é a maneira como você se comunica com as pessoas. O nervosismo tende a fazer com nós não consigamos expor nossas opiniões, preferências e gostos, ou justamente o contrário: que a gente fale de maneira muito acelerada. Em ambas as situações, por conta desse nervosismo não conseguimos mostrar quem realmente somos. Mas respire fundo, fique calmo e lembre-se que essa situação desconfortável vai passar e você fará novos amigos muito em breve.

2 – Os bons amigos

O fundamental para você criar um bom relacionamento com seus colegas é a simpatia, e claro, suas afinidades. Procure em suas primeiras semanas na escola, conhecer a todos, não exagerando em brincadeiras e sempre mantendo um relacionamento agradável. Isto fará com que no futuro você possa identificar quem possui maior afinidade com você e formar uma rede de amigos deixando o ambiente prazeroso para estudar.

3 – Seja você mesmo

A mais importante das dicas é: seja você mesmo! Muitas pessoas, para lidar com determinadas situações, tendem a criar um personagem, principalmente quando estão mudando de escola ou cidade. Elas acham que com isso estarão mais seguras e serão aceitas. Mas, na realidade, isso não passa de uma ilusão. Não siga padrões que você não gosta só porque os outros gostam, seja o que você é em qualquer ambiente, amizades e amores vêm com o tempo.

Aproveitando melhor a hora de estudar

Estudar é uma atividade essencial para qualquer pessoa, ainda mais para aqueles na vida escolar e acadêmica. Através dos estudos, você obtém acesso a conhecimentos que serão usados pelo resto da sua vida.

Porém, estudos escolares e acadêmicos podem parecer muito cansativos, e diversas vezes chatos. A grande verdade por trás deste tema, é que a atividade de estudar muitas vezes transmite a imagem de um “bicho de 7 cabeças”, mas na verdade, quem acaba criando está imagem é você mesmo.

Isto acontece porque o acumulo de todas as matérias fazem com que as coisas pareçam mais difíceis, o que acaba não sendo verdade a partir do momento em que você se organiza para evitar este acumulo. Para evitar tudo isso, veja estas dicas para que seus estudos se tornem mais prazerosos e proveitosos.

Organização é a palavra chave

A primeira coisa que você precisa fazer antes de começar a estudar é organizar como tudo será feito, através de um cronograma. Nele, você cria um roteiro para se basear, colocando dias e horários que você pretende estudar uma determinada matéria.

O ideal é que você estude um pouco por dia (Nem que seja pelo menos meia hora), pois estudando dessa forma você evita o acúmulo e um possível stress com vésperas de provas.

Tendo isto pronto, você pode pensar em como estudar, e para te ajudar, sugerimos algumas atividades com base em seus gostos:

1 - Torne a leitura sua aliada

A leitura é a principal forma de se adquirir conhecimento, mas ela nem sempre parece amigável. Se você não gosta de ler, procure começar por assuntos que sejam do seu interesse e de menor volume, como por exemplo, revistas, jornais, gibis, entre outros. Após criar afinidade com a leitura, antes das provas leia e releia a matéria diversas vezes. Isso ajudará a fixar o conteúdo em sua memória. Depois que se cria o hábito de ler, esta repetição se torna menos recorrente, e com o tempo o entendimento e compreensão será feito em poucas leituras.

2 – O Ver e O Ouvir

Muitas pessoas acreditam que entendem melhor apenas assistindo aula de uma forma diferente, e que isto torna o estudo menos cansativo de fato.

Aqui, seria interessante se você filmasse as suas aulas, para que em casa, você possa retomar a matéria assistindo a aula novamente. Mas lembre-se: infelizmente muitos professores não permitem a gravação de suas aulas, caso você não possa filmar, procure na internet vídeo-aulas sobre o assunto que você pretende estudar. Uma forma prática de você retomar tudo e se preparar para as provas.

3 – Exercitando a mente

Praticar exercícios para aprimorar sua forma física é algo muito comum, além de ser importante para a saúde, o que não é diferente para os estudos. Quanto mais prática, melhores serão seus resultados. Busque um equilíbrio entre seus estudos e lazer, evitando excessos de ambos.

Sempre que possível, peça para o seu professor lhe dar listas de exercícios referentes ao conteúdo da matéria ou da prova. Através desta lista, você pode exercitar o seu conhecimento sobre aquele determinado assunto, e assim, ficar preparado para qualquer questão.

Gostou das dicas? A Zocprint espera que seus estudos sejam conforme o planejado. Navegue pelo nosso site e encontre variados materiais para te ajudar a se organizar na vida acadêmica!

Reta final - Orientações para o temido “vestibular”

Se organize: Anote tudo que você precisa estudar por dia e todas as tarefas que você precisa fazer.

Escolha o esquema de estudo que mais combina com você, seja lendo, fazendo resumos ou resolvendo exercícios.

Tentar explicar a matéria para si mesmo é uma ótima forma de ver se você aprendeu tudo. Além disso, tente usar relações com outras matérias para treinar para as questões interdisciplinares que são comuns em diversos vestibulares.

Evite ao máximo faltar nas aulas e anote tudo que você considerar importante. E não se esqueça de que um caderno organizado ajuda muito na hora que você for estudar.

Leia, leia e leia. A leitura faz com que você obtenha referências e treine a sua interpretação. Você vai precisar de todo o conteúdo oferecido por jornais e revistas para resolver as questões de atualidades, além disso, lembre-se que muitos exercícios são facilmente resolvidos com um bom entendimento de texto.

Se analise e descubra quais são seus pontos fracos e fortes em cada matéria e pense sempre em como melhorar. Talvez seja apenas a forma como você está estudando ou talvez você não esteja se dedicando tanto a algumas matérias.

Cuide da sua saúde. Ter uma boa alimentação e bom sono são essenciais para se manter firme e forte nessa reta final.

Praticar atividades físicas também é fundamental para espantar a ansiedade nessa fase. A prática esportiva regular aumenta sua concentração e seu raciocínio, além de melhorar o seu condicionamento físico, que pode ser um diferencial em provas que são muito desgastantes.

Equilíbrio é a palavra-chave. Estude para se preparar bem, mas sem exageros. Todo mundo precisa de um tempo para relaxar e se cuidar.

Não deixe o desânimo chegar. Mantenha o seu foco, pense em coisas positivas e acredite no seu potencial. Isso te ajudará a permanecer firme durante todas as horas diárias de estudo.

Na hora do vestibular:

Comece as provas pelas matérias que você sabe mais.

Se prepare psicologicamente. É difícil não ficar nervoso na hora, mas lembre-se que você deu o seu melhor durante o ano e já viu toda a matéria da prova. Você só precisa relaxar e confiar em si mesmo.

Entenda que o vestibular não é o fim do mundo e que ele é igual para todos.

Não se esqueça de separar no dia anterior todos os documentos e comprovantes que você vai precisar levar no dia da prova.

Saia de casa com um bom intervalo de tempo para a prova. Lembre-se que podem surgir vários imprevistos e que os locais que aplicam as provas são muito rígidos com o horário de fechamento dos portões. O ideal é chegar antes dos portões se abrirem para não ter que se preocupar com nada nesses últimos momentos.

Se você quiser tanto aquela vaga em uma ótima universidade, tudo que você precisa é de foco, determinação e qualidade de estudo. Tenha dedicação para estudar e seja organizado com seus horários de estudo. Além disso, lembre-se de sempre tirar suas dúvidas com seus professores, pois eles terão o maior prazer de te ajudar. Tire umas horas no fim de semana para sair com os amigos, assistir um filme no cinema e relaxar de todo o estresse da semana de estudos. E uma das dicas mais importantes: não se esqueça de guardar o conhecimento adquirido para a vida e não só decorar toda a matéria para a prova.

Esperamos que você aproveite todas essas dicas e boa sorte!

Para você papai, mamãe e responsável

No recreio, dê saúde para seu pequeno.

Nós todos sabemos do quão benéfico é se valer de uma alimentação saudável, rica e balanceada, porém, muitas das vezes, não damos o bom exemplo de comer, perto dos pequenos, alimentos que realmente valham a pena e que façam bem à saúde. Devemos, o quanto antes, adquirir hábitos saudáveis e servirmos de bons modelos, para que no futuro as crianças sejam mais saudáveis e não tenham que lidar com problemas alimentares e transtornos oriundos da má alimentação na infância - problemas cardíacos e outras patologias associadas a isto estão acometendo jovens e crianças cada vez mais cedo.

Fazer com que o saudável seja a opção mais escolhida para a hora do recreio é uma grande dificuldade. Fica complicado para a mamãe unir praticidade com qualidade e difícil é a criança aceitar o que foi proposto sem torcer os beiços. Em vários momentos o mais prático não é o mais saudável, mas está entre o que as crianças gostam mais; então estes alimentos passam a ser consumidos com mais frequência. "O fato é que, na escola, se formam as bases do comportamento no que diz respeito à alimentação", diz a nutricionista Nina Flávia de Almeida Amorim, responsável técnica pelo projeto A Escola Promovendo Hábitos Alimentares Saudáveis, do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutrição da Universidade de Brasília (UnB). Ela afirma que as crianças, em média, consomem de 25 a 33% das calorias diárias justamente no ambiente escolar, entre merenda e lanchinhos, desde a hora em que chegam para a aula até o momento em que voltam para casa.

Na volta às aulas, não deixe que a criança fique muito tempo sem se alimentar entre as refeições ou não o fazer de maneira adequada, pois além da perda de atenção e de concentração por conta do déficit energético, pode também perder peso, se sentir cansada e até ter tonturas que atrapalharão o aprendizado. O ideal, portanto, é se alimentar de três em três horas.

Alimentos gordurosos, como coxinha, risoles e outras frituras, bem como refrigerantes e alimentos que estragam fácil (e fazem muito mal se ingeridos nestas condições) não devem estar na lancheira. Evite também chicletes, chocolate em excesso e balas. Um lanchinho saudável, quando falamos em alimentação infantil, deve ser, principalmente, baixo em teores de açúcar, sal e gordura.

Dica: Além da lancheira térmica existem outras maneiras de manter o lanche sempre fresquinho: pode-se usar o papel alumínio ou papel filme para embalar lanches e frutas. Outra dica é preparar o lanche logo cedo, pouco tempo antes de a criança sair.

Quanto mais completo o lanche - não confundir completude com complexidade, afinal, a criança não necessariamente deve almoçar na hora do recreio - mais saudável e de qualidade será a refeição. É preciso ter na lancheira alimentos de todos os grupos: energéticos, reguladores e construtores.

Dica 2: Alimentos Construtores:

São os alimentos ricos em proteínas - como leite, queijo, ovos, carne, frango e peixe, além da soja, ervilha, lentilha e feijão. As proteínas são os compostos que constituem os principais componentes dos organismos vivos. Elas são fundamentais para o crescimento e, por esse motivo, se o nosso corpo fosse uma casa, poderíamos compará-las aos tijolos que usamos na construção.

Alimentos Energéticos:

Está nesta categoria alimentos como arroz, milho, macarrão, pão, batata, mandioca, farinhas, açúcares, bolos, mel... Ou seja, alimentos que contém carboidratos - compostos orgânicos que nos dão energia para trabalhos manuais, estudo e brincadeiras. Existem também os alimentos apelidados super energéticos, que possuem grande quantidade de gordura e açúcares e, por isso, devem ser consumidos com moderação - manteiga, margarina, creme de leite, óleos, bolos confeitados, sorvetes cremosos, chocolates, refrigerantes, balas, chicletes, e salgadinhos.

Alimentos Reguladores:

Vitaminas, fibras, minerais e água. Os alimentos desta categoria hidratam o corpo, deixando os cabelos brilhantes, unhas fortes e pele macia, por exemplo, e são encontrados em legumes, verduras e frutas. As fibras ajudam na digestão, facilitando a movimentação dos alimentos no aparelho digestivo para bom funcionamento do intestino.

Logo, pode contar na lancheira com:

Pães do tipo integral (pode haver alternância entre os integrais com os tradicionais, ou mesmo bisnaguinhas, pão sírio, pães de leite e torradas, mas tenha como primeira opção aqueles mais saudáveis).

Dica 3: Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo mostrou que as bisnaguinhas são os lanches que as crianças mais levam, por conta do tamanho e praticidade no preparo. Em média, três unidades são suficientes. Nelas há mais gordura do que o dobro de gordura dos pães de forma tradicional e ainda faltam fibras. Por isso, tenha atenção na hora de montar a lancheira e leia o rótulo daquele alimento que você irá colocar para o intervalo do seu filho.

Preferir queijo branco, manteiga, requeijão e peito de peru ou presunto magro, observando sempre a data de validade e preparando-os pouco tempo antes da hora de ingestão;

Bolos simples caseiros – quanto menos industrializados, melhor;

Sucos naturais, preferencialmente, se de caixinha, atente-se às informações nutricionais no verso da embalagem. Verifique também a ausência de corantes artificiais e excesso de conservantes. Deixe de lado os refrigerantes, pois além de não acrescentar nenhum nutriente ao organismo ainda ajuda a jogar fora os que estão nele.

Água de coco, achocolatados e até iogurtes naturais são boas opções para sair do comum;

Biscoitos, de preferência os não recheados, como bolachas água e sal e bolachas maizena;

Frutas cortadas em cubos pequenos (atentar-se às frutas que não ficam com aparência boa quando descascadas). Outra boa pedida também são as saladas de frutas.

Dica 4: As vitaminas das frutas, em especial a vitamina C, sofrem oxidação em contato com o ar e vão perdendo gradativamente sua eficiência. Tal detrimento acontece aproximadamente após 4 horas de exposição. Mesmo assim, podemos utilizar outras frutas na lancheira e em forma de suco, como a acerola, abacaxi, maracujá e melão, uma vez que sofrem menos sem casca.

Queijo tipo Polenguinho e outras geleias que não precisam estar em refrigeração;

Cenouras-aperitivo (especiais para lanche), tomates-cereja ou ovinhos de codorna.

A higienização dos alimentos é crucial e a do recipiente é tão importante quanto. Para evitar contaminações do lanche e intoxicações alimentares, preze pela limpeza dos dois. Mesmo dentro da bolsa ou lancheira, embale os alimentos e coloque as bebidas em garrafas térmicas.

Sobre quantidades, já foram estudadas e estabelecidas médias a serem consumidas de acordo com a faixa etária da criança, mas sabemos que elas são muito diferentes. Portanto, preocupe-se mais com a qualidade do que você dispõe e no retorno dado – se ao longo dos dias chegarem elogios, mas também sobras, sinal que ela leva uma quantidade além da sua necessidade, por exemplo. Alimentos fibrosos darão uma maior sensação de saciedade e regularão as atividades digestivas, elucidando assim pistas da quantidade ideal.

Se você pretende reeducar a alimentação do seu filho na volta às aulas, tente ir inserindo aos poucos frutas ao invés da bolacha recheada, um sanduíche em lugar do salgadinho.

Educar nutricionalmente a criança dá trabalho, principalmente no ambiente escolar, onde pais de outras não estão tão preocupadas com esta questão. Lembre-se que a apresentação do alimento é tão importante quanto propriedades dele em si, – sentimos um gosto bom e vemos um aspecto agradável, e não um “gosto saudável” e “aspecto saudável”. Se a meta é fazer seu filho passar a gostar, capriche!

Dica 5: Negocie um dia na semana para a criança escolher o que preferir levar de lanche. De preferência, no meio da semana, assim fica distante do sábado e domingo que comumente têm abusos na alimentação. Evite certa monotonia de opções. Ao variar o máximo possível, as opções de lanches e as cores diferentes fazem toda a diferença para que a criança sinta prazer e deseje provar o diferente.

Pergunte sempre sobre os lanchinhos dos colegas. Deste modo, ficará mais fácil identificar quando o seu filho comeu algo do amigo e que tenha feito mal. As trocas de lanches escolares são comuns, mas para crianças com obesidade, por exemplo, isso pode agravar mais o ganho de peso. Orientar a criança quando ela for consumir salgados da cantina é relevante – ainda mais para as que enfrentam este problema. Escolher os assados, os pães de queijo, o enroladinho, a esfirra e a torta são melhores opções do que as massas folhadas.

Sugestões para a semana:

(Sugestão de uma imagem com os dias da semana e a lista de alimentos. Os posso fazer)

Segunda-feira

Suco de soja (300 ml);

Bisnaguinhas recheadas com manteiga e queijo e

Uma fruta em cubinhos.

Terça-feira

Suco natural de laranja e

Um sanduíche de pão integral com uma colher (rasa de sobremesa) de requeijão.

Quarta-feira

Deixar que a criança escolha o que levar para o intervalo.

Quinta-feira

Algumas bolachas maizena com geleia de morango (ou outro sabor preferido);

Uma unidade de queijo tipo Polenguinho;

Uma banana e

Iogurte integral.

Sexta-feira

Uma fatia pequena de bolo caseiro e simples;

Água de coco e

Melancia fatiada.