Curiosidades do Futebol

História do Futebol

O futebol é considerado o esporte com maior importância no Brasil. Isto pelo fato de ser o esporte de maior prática no país, e, em consequência disso, o mais assistido pelos brasileiros.

Atualmente, o esporte é famoso a nível mundial, comportando em cada nação do globo, inúmeras divisões de times profissionais. Além disso, o futebol atual é responsável por transações milionárias de jogadores entre estes mesmos times profissionais.

Outra grande fonte de receitas geradas pelo esporte são as provenientes de grandes patrocínios e propagandas, que tornam as equipes, principalmente as Europeias, grandes polos multi-milionários.

Porém, nem sempre foi assim. O futebol começou a ser praticado, não como um esporte propriamente dito, mas como um jogo interativo com bola, sendo implementado em diversas culturas. A seguir, veja como o futebol surgiu e sua evolução com o passar do tempo, até se tornar o fenômeno mundial que é hoje

China:

Na China, o futebol começou como uma comemoração de guerra. Após as vitórias, para jogar, os chineses chutavam os crânios de seus inimigos derrotados - eu que não queria ter nascido lá!. Com o tempo, o jogo foi se modificando e os soldados começaram a usar bolas, como as que conhecemos hoje,, revestidas com couro. No jogo, cada time possuía 8 jogadores, que tinham como objetivo levar a bola sem deixa-la cair do chão, entre duas estacas que pertenciam a equipe adversária.

Grécia Antiga:

O jogo na Grécia era chamado de Epyskiros e era praticado como forma de trinamento militar, principalmente pelos espartanos. As equipes eram formadas por 9 jogadores cada, com o objetivo de levar uma bola de areia revestida com bexiga de boi ao gol adversário, no caso, também, formado por duas estacas.

Idade Média:

Nesta época, o esporte foi praticado na região onde hoje se encontra a Itália. De forma bem diferenciada e com total força bruta, recebeu o nome de Soule. O Soule era praticado por militares, que dividiam o jogo em dois times, os atacantes e os defensores, que tinham o objetivo de levar a bola ao par de redes do adversário, quem fizesse isso primeiro era o vencedor. Os jogadores somavam ao todo 27 integrantes, divididos nas funções de: corredores, dianteiros, sacadores e guarda-redes - lembrando inclusive um pouco das posições do futebol atual.

O Soule era muito violento, já que eram permitidos socos, pontapés, derrubadas e rasteiras. Outro aspecto do jogo era sua falta de organização, o que fez com que o rei da época proibisse a prática.

Pouco tempo depois, o Soule foi adaptado pela nobreza, onde foram estabelecidas regras que proibiam a violência e uma comissão de arbitragem foi adicionada

Chegada a Inglaterra:

No século XVII, o famoso Soule italiano chega a Inglaterra, ganhando novas regras. Na modalidade britânica, o campo exigia uma métrica de 120 a 180 metros, onde nas pontas eram instalados os novos e famosos gols.

O jogo era feito com uma bola de couro e, começou a ser praticado por jovens da nobreza do país.

Em 1848, foram criadas as regras para o esporte. 23 anos depois, surgiu a posição de guarda-redes oficial, o único que poderia colocar as mãos na bola, ou, como é conhecido hoje, o famoso goleiro. Em 1875, estabeleceu-se os 90 minutos como tempo máximo de duração da partida, e, finalmente, em 1891, as regras de falta.

No Brasil:

O futebol chegou ao Brasil através do jovem Charles Miller, que, ao voltar de um intercâmbio na Inglaterra, em 1894, traz consigo uma bola e as regras do esporte. Ele se tornou o precursor da modalidade.

O primeiro jogo oficial de futebol no Brasil aconteceu no dia 15 de Abril de 1895, entre os funcionários da Companhia de Gás, contra a Cia Ferroviária São Paulo Railway.

Anos mais tarde, o futebol começa a ganhar força cada vez mais no Brasil e no mundo, tornando-se o grande sucesso que é até hoje.

Tipos de Torcedor

A torcida tem um marco importante nos esportes em geral. Equipes, não importam de que modalidade, necessitam do apoio de seus torcedores para entrarem e vencerem suas partidas.

Isto está muito presente, principalmente, no futebol brasileiro. As torcidas que lotam os estádios e salas de TV para verem seus times jogarem possuem grande importância para cada equipe que entra em campo.

Pensando nisso, nós, da Zocprint, fizemos uma seleção com os 7 tipos de torcedor mais comuns. Divirtam-se e descubram em qual tipo de torcedor você e seus amigos mais se encaixam:

#1 - Supersticioso

O torcedor supersticioso é aquele acredita que suas ações presentes podem influenciar em outros cenários, mesmo que não tenham relações diretas com ele, por mais ilógico que isso possa parecer. Exemplo: Você acredita que seu time pode perder um jogo se não se sentar do lado direito do sofá ou do lado esquerdo da arquibancada? Ou então, você sente a necessidade de usar aquela bermuda que você usou na última final que seu time disputou e foi campeão? Se sim, você é um torcedor supersticioso! Frase típica: “Eu sou pé quente!”.

#2 - Pessimista

O torcedor pessimista é aquele que sempre pensa de forma negativa, independente do que acontece durante o jogo. Exemplo: O time dele está jogando e ele sempre acha que a equipe vai perder, seja porque o outro time é mais forte, ou porque as condições do campo estão ruins, não importa! Não sussega mesmo quando seu time está ganhando de 4x0 aos 30 do segundo tempo. Frase típica: “Não falei que ia dar errado?”

#3 - Vira- Casacas

O famoso vira-casaca. Este torcedor é um dos mais cômicos!, Ele torce para o time que está ganhando, ou seja, não tem um time definido. Exemplo: Se o time dele perde, ele começa a torcer para o maior rival, pura e simplesmente porque aquela equipe está ganhando. Geralmente esta estratégia não dá certo e ele acaba sendo alvejado tanto pela torcida rival quanto pela própria torcida atual. Frase típica: “Que time está ganhando mesmo?” (Resposta dada quando é perguntado: ‘Para qual time você torce?’)

#4 - Juíz

O torcedor juiz é aquele que opina em todos os lances do jogo, falando quando aconteceu, ou não aconteceu, a falta, se foi, ou não foi, gol. É uma espécie de comentarista gratuito. Exemplo: Ele é o cara que fica nervoso mesmo quando seu time está ganhando, tudo isso porque o lance que originou o gol foi duvidoso. Além disso, esse torcedor é capaz de dizer que a própria arbitragem beneficiou seu time ao apitar de forma injusta. Frase típica: “Olha lá, não falei que foi falta?”. (Comentando sobre um lance que claramente prejudica seu próprio time).

#5 - Desatento

Sempre no mundo da lua, é o torcedor que perde quase todos os lances importantes que ocorrem no jogo. Exemplo: Sempre, em algum momento enquanto estiver assistindo um jogo, ele irá fazer alguma coisa (mexer no celular ou se distrair com quem passa na frente da TV) e consequentemente, se perder no que está acontecendo. Frase típica: “Uhh! Quase!!” (Diz o torcedor desatento ao ver um replay de um lance depois de ninguém gritar gol)

#6 - Emotivo

Este tipo de torcedor é aquele que costuma se expressar de forma exacerbada quando algum lance mais forte ocorre durante o jogo. Exemplo: Sabe aquela pessoa que chora quando seu time faz ou perde um gol? Ganha ou perde um jogo? Ou então fica emocionado simplesmente ao cantar o hino da equipe? Este é o torcedor emotivo. Sente emoção a cada lance do jogo, vive com o coração na boca. Frase típica: “Uhh! Quase!!” (Diz o torcedor emotivo ao ver um um lance ENQUANTO o mesmo de fato acontecia)

#7 - Fanático

Este é o torcedor que resume a grande maioria dos torcedores citados, o fanático. O fanático é aquele que reage de maneira excessiva e parcial em qualquer situação que seu time do coração esteja envolvido. Exemplo: Ele grita por seu time, a cada lance se emociona e chora, vai a todos os jogos não importando se está calor, frio, chove ou faz Sol. Tudo se resume ao seu time, e ele sempre estará lá, torcendo. Ele opina nos lances, faz jus a superstições, acha que o time vai perder de vez em quando, mas sempre vai estar torcendo. Frase típica: “Não foi falta, juiz!” (Depois do zagueiro claramente acertar o jogador do time adversário e levar cartão por isso).

Em qual desses você se encaixa? Torcedores são variados no mundo todo, mas principalmente no Brasil! Independente do tipo de torcedor que você é, o importante é estarmos juntos para comemorar quando tudo dá certo ou criticar as decisões do técnico quando nada vai bem.

Figurinhas: História e Curiosidades

Faltando pouco tempo para ver o nosso país em campo, as figurinhas tomaram conta, tanto de adultos quanto de adolescentes e crianças.

De 2002 para cá, as esses pequenos objetos se tornaram um sucesso. É comum que em época de Copa as vendas em bancas de jornais quase tripliquem.

Levando em consideração o sucesso destas figurinhas, decidimos falar um pouco sobre sua história e algumas curiosidades.

História: Início no Brasil

O hábito destas coleções começou no século XX, mais precisamente no ano de 1900. Na época, foi a tabacaria Estrela de Nazareth que lançou o primeiro álbum de figurinhas colecionáveis, composto por 60 cromos que completavam bandeiras de diversos países.

Porém, o sucesso começou apenas no ano de 1925, quando a empresa Eucalol pensou em uma ótima estratégia de marketing que iria alavancar as vendas da firma. Lançaram então um álbum de figurinhas com estampas de sabonetes, onde quem comprava um sabonete na empresa, ganhava, três figurinhas. Isto gerou um grande sucesso, e consequentemente, elevou o nome da empresa.

Após 36 anos, o mercado de figurinhas provou que veio para ficar no mundo dos negócios, com a fundação da companhia Panini. Fundada em 1945 por dois irmãos italianos donos de banca de jornais, a Panini faz sucesso até hoje, estimando atualmente, um lucro de cerca de 650 milhões de euros.

Ao longos dos anos no Brasil, ainda no século XX, muitos outros álbuns de figurinhas foram lançados e consistiram em muito sucesso. Grandes exemplos são: Balas Futebol(1950), da empresa Balas Futebol; Chapinhas de Ouro (fim da década de 70), da Editora Dimensão Cultural; Ping Pong (1982), da empresa de chicletes Ping Pong, e por fim, o primeiro álbum do campeonato brasileiro(1989) da editora Abril.

Curiosidades

Listamos aqui, algumas curiosidades em relação aos álbuns de figurinhas. Veja:


Não existem figurinhas raras. Os álbuns de figurinhas são impressos em uma demanda, impressas e colocadas dentro dos pacotinhos de modo totalmente sortido, ou seja, isso reluz ainda mais a ideia do fato de que conseguir uma figurinha rara é um ato de sorte.

Figurinhas auto-colantes. Em 1971 foi a primeira vez que as figurinhas auto-colantes (as atuais) foram lançadas, com o álbum do campeonato italiano. Antes disso, você mesmo teria que colar a suas figurinhas com cola.

Primeira figurinha de Jogador. O primeiro jogador a ser impresso em uma figurinha foi o zagueiro Bruno Bolchi, o italiano era capitão da Inter de Milão.

Capa de Álbum com Jogadores. O primeiro jogador a aparecer na capa de um álbum foi o sueco Nils Liedholm, no álbum de figurinhas do Campeonato Italiano. Na época, o jogador era destaque do AC Milan.

Gostou da história e curiosidades sobre os álbuns de figurinhas, e principalmente de futebol? Você sabe de alguma outra curiosidade sobre figurinhas e futebol?

c